segunda-feira, 31 agosto, 2015

Turismo da Bahia cobra mais investimentos

Em reunião com 27 representantes do trade turístico da Bahia, o deputado estadual Alex Lima (PTN), membro titular da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, ouviu as demandas do setor. O mês de abril foi avaliado como o pior dos últimos 15 anos, o que pode refletir em fechamento de bares e hotéis da Bahia até o final do ano. Falta de articulação do setor, pouco investimento e representatividade política são apontados como os principais agentes motivadores da crise. O encontro ocorreu no Hotel Sotero, Stiep.

Um dos destinos mais procurados do país, Salvador tem perdido espaço para outras cidades quando o assunto é realização de grandes eventos. “Salvador já começa perdendo se avaliarmos duas ferramentas importantes: o aeroporto, que é um dos piores do país, e o Centro de Convenções, que está sucateado. Não temos condições de realizar congressos e grandes eventos. Estamos descendo a ladeira quando o assunto é ocupação hoteleira”, disse Luiz Augusto Costa, presidente do Conselho Baiano de Turismo.

De acordo com Silvio Pessoa, presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Salvador e Litoral Norte, o turismo é o setor que mais emprega, perdendo apenas para o agronegócio. No entanto, as dificuldades enfrentadas atualmente, pode acarretar em novas demissões.  “A Bahia tem 3.800 hotéis, 38 mil bares e restaurantes. O turismo é responsável por 7,5% do PIB da Bahia e 20% em Salvador. No total são 200 mil empregados em bares e restaurantes e 750 mil na hotelaria. Diante da situação, todos os empresários do ramo já demitiram cerca de 10% da mão de obra e ainda há possibilidade de novas demissões e fechamento de estabelecimentos”, alertou.

Segundo Abdou Farah, diretor administrativo do Hotel Sotero, Salvador perdeu a capacidade de articulação e do fazer turismo. “Estou há dois anos aqui na capital, mas acompanhei a áurea do início de 2000 à 2004, quando setores de outras cidades se espalhavam e aprendiam com Salvador como fazer turismo. Hoje em dia isso se perdeu e eu enxergo que o turismo está desarticulado e uma falta de interesse do setor público. Acredito que seja mais simples resgatar algo que já foi muito bom do que fazer novamente, o problema é que estamos sem interlocução e isso é péssimo para o empresariado”, disse o diretor.

Para o deputado Alex Lima, o fomento do turismo é essencial para o desenvolvimento do Estado, uma vez que a Bahia é “vendida” como o local ideal para férias. “Eu planejo e acredito no turismo. Somos um Estado de grandes belezas naturais, localização privilegiada e pobre, se avaliarmos a renda per capita. Por isso acredito e defendo a necessidade de mais investimentos e melhor articulação no setor”, afirmou.

Também estiveram presentes no encontro representantes das associações de empresas e evento, de locadores de automóveis, jornalistas de turismo, de bares e restaurantes, profissionais liberais, Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA); sindicato de hotéis bares e restaurantes, dos meios de hospedagens do litoral sul, das empresas de turismo da Bahia, das locadoras de veículos, dos guias turísticos e a Associação Comercial e Turística da Praia do Forte.

Publique o seu comentário

Contato

Palacio Dep. Luis Eduardo Magalhães 1a avenida, Prédio Anexo, gab. 202, Wilson Lins - CEP: 41.745-001 CAB, Salvador/BA.

(71) 3115-7281

alexlima@alba.ba.gov.br